GÊNESIS CONSTRUÇÕES CIVIL LTDA

GÊNESIS CONSTRUÇÕES CIVIL LTDA

14 de janeiro de 2019

Justiça aceita denúncia contra PMs acusados de matar empresário espanhol em Salvador

[Justiça aceita denúncia contra PMs acusados de matar empresário espanhol em Salvador]
BNewsA Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra os dois policiais militares envolvidos no assassinato do empresário espanhol Márcio Perez Santana. Com isso, Maurício Correia dos Santos e Saulo Reis Queiroz se tornam réus pelos crimes de homicídio qualificado e tentativa de homicídio, este último contra Renata Alves Correia, que estava com Márcio no momento do crime.

Os PMs foram denunciados pelo MP-BA no último dia 7. A decisão de aceitar a acusação formal foi do juiz Eduardo Augusto Santana, dada no último dia 10 de janeiro.

Segundo o promotor Antônio Luciano Assis, os policiais surpreenderam Márcio Perez com vários tiros de arma de fogo no dia 19 de setembro de 2018. O espanhol chegava em sua residência, no bairro de Armação, em Salvador, quando o veículo em que estava começou a ser alvejado.

A vítima foi morta a tiros pelos policiais quando chegava em casa, de carro, no bairro de Armação. Conforme apontaram as investigações, os policiais estavam dentro de uma viatura com os faróis altos e com o giroflex desligado. Márcio dirigia o veículo e não percebeu que se tratava de uma equipe da PM, se assustou e seguiu com o carro.

De acordo com o MP, Márcio ainda tentou escapar dos vários e seguidos disparos efetuados pelos policiais, mas foi perseguido e alvejado pelas costas. “Márcio não teve como lançar mão de qualquer recurso em defesa da sua vida”, disse o promotor.

Em depoimento, os policiais alegaram que estariam perseguindo criminosos e acabaram se deparando com o carro de Márcio, que tinha as mesmas características do veículo dos suspeitos

10 de janeiro de 2019

Troca de tiros entre criminosos causa pânico no Centro Histórico de Salvador

Uma troca de tiros causou apreensão no Centro Histórico de Salvador, no final da tarde desta quinta-feira (10). As informações preliminares apontam que o confronto aconteceu entre grupos criminosos rivais no Edifício Excélsior, na Praça da Sé.
Policiais do 18° Batalhão da Polícia Militar, sob o comando do Coronel Arnaldo, chegaram ao local e conseguiram prender três deles. Outro suspeito envolvido foi baleado.
Os policiais permancem na região e fazem buscas no imóvel, onde há suspeita de homens armados.
Bocao news

[Troca de tiros entre criminosos causa pânico no Centro Histórico de Salvador]

Tempo Real: ataques criminosos em Fortaleza e cidades do Interior chegam ao 9º dia

Uma forte explosão foi ouvida em Messejana e em bairros vizinhos na noite desta quinta-feira (10). A origem foi uma tentativa de ataque ao viaduto da CE-040.

A polícia está no local e isolou a área do elevado. Os agentes pedem para que as pessoas permaneçam a uma distância de pelo menos 3 quarteirões, pois uma das bombas não foi detonada e há risco de uma nova explosão.

Chegou a 40, o número de chefes de facções criminosas do sistema penitenciário do Ceará transferidos para presídios federais, segundo o governo.

Nesta quinta-feira (10), 19 presos deixaram o Estado para se juntar aos outros 21 líderes que já haviam sido transferidos, segundo o governador Camilo Santana.
O terminal de ônibus do Antônio Bezerra está pouco movimentado na noite desta quinta-feira (10). Algumas pessoas estão nas plataformas a espera de um coletivo. Quem passou pelo terminal pode perceber a presença de policiais.


Mais nove suspeitos foram capturados por danos aos postes de iluminação pública, em Fortaleza e na Região Metropolitana. Os trabalhos foram realizados pela Polícia Militar do Ceará em bairros da Capital e da cidade de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), nesta quinta-feira (10).

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) já havia divulgado, nessa quarta-feira (09), as prisões e apreensões de sete indivíduos envolvidos nesse tipo de crime.

De acordo com a SSPDS, os suspeitos estavam quebrando as lâmpadas dos postes, na Rua dos Parlamentares no bairro Vicente Pinzón. Alguns suspeitos ainda tentaram fugir quando perceberam a presença dos policiais.


Camilo anuncia transferência de mais 20 chefes de facções do Ceará para presídio federal
O governador Camilo Santana anunciou que nas próximas horas vai realizar a transferência de mais 20 chefes de facções do sistema penitenciário do Ceará para um presídio federal.

O anúncio foi dado durante uma reunião entre os três poderes e representantes de entidades na tarde desta quinta-feira (10), no Palácio da Abolição.

"Já transferimos 21 chefes de grupos criminosos e, nas próximas horas, vamos transferir mais 20. A minha decisão é não recuar nenhum milímetro", disse Camilo.

O chefe do executivo informou ainda que já foram realizadas 287 prisões nos últimos dias, reforçou a importância do apoio de diferentes setores e garantiu que o Estado não vai recuar no combate ao crime. 

Capricho Emporio em Jacobina a sua Loja de Confecções e Artigos Eletronicos

Tarde de quinta -feira, 10 de Janeiro de 2019,  aqui na Praça Rio Branco em Jacobina, clicamos


os artigos da Capricho Emporio venha dar uma conferida nas Promoções Capas para todos os Tipos de Celulares,Biquinis,Blusas,Bolsa em Couro,Batons Confecções em Geral a partir de Segunda Feira estaremos com Materiais Escolares venha dar uma conferida nos preços Junior Farias e Mônica Mascarenhas está lhe esperando



9 de janeiro de 2019

Em meio à crise, presos do Ceará são transferidos para presídio federal

[Em meio à crise, presos do Ceará são transferidos para presídio federal]
09 de Janeiro de 2019 às 09:04 Por: Agência Brasil Por: Vinte presos do Ceará foram transferidos para o presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, como medida para tentar controlar a onda de violência que atinge o estado.

De acordo com informações do ministério da Justiça, a ação ocorreu de forma conjunta entre o Departamento Penitenciário Nacional, a Polícia Rodoviária Federal e o governo do Ceará na madrugada desta quarta-feira (9), por volta de 2h da manhã -o procedimento foi finalizado por volta de 4h30.

As vagas foram disponibilizadas na última sexta (4), mas a transferência foi realizada apenas após pedidos do estado. Novas vagas poderão ser criadas se houver necessidade, segundo o ministério da Justiça.

Desde a última quarta-feira (2), o Ceará tem sofrido uma onda de atentados ordenados por facções criminosas. As ações seriam uma represália ao anúncio feito pelo governo estadual de deixar de dividir os presos por facção nas cadeias cearenses.

Até esta terça-feira (8), 185 pessoas tinham sido presas, segundo o governo. De acordo com o ministério da Justiça, 406 homens e 96 viaturas da Força Nacional estão no Ceará para ajudar a conter a crise de violência

1 de janeiro de 2019

Mulheres acusam dono do Albano Beach e agentes da PM de racismo após confusão na Barra

Um grupo de advogados procurou a reportagem do BNews para denunciar um suposto caso de racismo ocorrido após uma confusão no bar Albano Beach, localizado na Barra, na noite deste sábado (29). Duas mulheres negras, uma delas advogada, teriam sido expulsas pelo dono do estabelecimento sem motivação. Como se recusaram a deixar o local, o homem chamou a Polícia Militar, que conduziu a dupla em uma viatura até a 11ª delegacia da Barra. O empresário, identificado como Albano Carlos Lobo Menezes, no entanto, pôde se locomover através de um automóvel particular. A redação recebeu um vídeo que registra todo o ocorrido.
 
 
Quem dá detalhes do caso é a advogada Fernanda Cardoso, membro da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Bahia (OAB-BA), que representa as vítimas. As duas foram identificadas como Daza Ifa Ashanti Moreira (jornalista) e Gabriela Batista Pires Ramos (advogada).
 
"Ela (Gabriela), juntamente com uma amiga (Daza) estavam em um bar na Barra. Daza pediu para carregar o celular dela no estabelecimento. E aí colocou o celular para carregar, mas depois a funcionária mandou que ela retirasse o celular porque poderia dar uma sobrecarga na parte elétrica do bar. Ela retirou. E a funcionária também pediu para que ela se retirasse do balcão. Nesse momento, o dono do bar pediu para que ela se retirasse do estabelecimento. E aí, a advogada, que se chama Gabriela, questionou a necessidade de sair do bar, já que as duas estavam consumindo. Ele disse 'Não, você tem que sair do bar'. Acreditamos que seja uma questão de preconceito racial mesmo", relata ao BNews.
 
"O dono do bar foi e chamou a guarnição na da 11ª delegacia. Nesse momento, a guarnição chegou e pediu para que elas se retirassem do bar. Elas disseram que não se retirariam, porque elas estavam consumindo. Começou uma discussão e Gabriela se apresentou como advogada. O policial olhou para ela e questionou sobre a identificação da OAB. Quando ela mostrou, o agente reteve a identificação e disse que só entregaria na delegacia, mandando que elas entrassem no camburão. E deixou que o dono do bar fosse conduzido no carro particular dele. As duas tiveram que ir na viatura. E aí começaram as agressões físicas e verbais. Um outro colega que também é advogado tentou apaziguar, mas também foi empurrado, como mostra no vídeo", continua Fernanda, que estava de plantão no Comissão de Prerrogativas da OAB no momento do caso.
 
"Na delegacia, elas ficaram junto com traficantes e outras pessoas que tinham sido presas em flagrante por crime contra o patrimônio, rodeadas de policiais. Quando cheguei e me identifiquei como advogada, não quiseram me deixar entrar. Falei que sou da OAB-BA. Disse que tinha uma advogada que sofreu preconceito racial, discriminação. Foi aí que me deixaram entrar. Vi ela extremamente chorosa, rodeada de policiais militares", completa.
 
A conselheira da OAB-BA, Maíra Vida, também esteve presente e acompanhou o ocorrido. Fernanda também aponta quem são os agentes envolvidos no caso. "Os policiais das agressões são os policiais lotados na 11ª CIPM contando com o apoio de outra guarnição da mesma companhia, sob o comando de SD. Jorge. Emilson Silva da Cruz foi o Cabo PM que agrediu os advogados".
 
Albano já é figura conhecida no noticiário policial soteropolitano. Em 2012, ele foi preso em flagrante por porte ilegal de arma. No momento da prisão, o acusado tinha em mãos uma pistola 380, cheques e a quantia de R$2.908. Na época, o BNews noticiou que ele tinha um mandado de prisão em aberto, com acusação de homicídio na cidade de Irará, na Bahia, expedido em setembro de 2011. Ainda na ocasião, contra Albano, também constavam inúmeras acusações sobre participação no tráfico de drogas na região do Porto da Barra.
 
Discriminação
Em um áudio enviado ao BNews, Gabriela desabafa e dá a sua versão sobre o caso. "Quando vi o conflito [entre Daza e a atendente], me aproximei e entrei para entender o que estava acontecendo. Estava na parte externa e fui recebido com a mesma hostilidade pelo dono do bar, no qual estávamos consumindo desde cedo. E aí ele falou que iria chamar a polícia", relata.
 
"A polícia já chegou me abordando diretamente, perguntando quem eu era. Falei 'sou advogada'. Aí ele disse 'Ah, é advogada? Então, você mais do que ninguém entende de direito e sabe que aqui é estabelecimento privado'. Respondi 'Então, você está me dizendo que ele pode atuar de forma discriminatória, escolhendo que atende ou não atende?'. E aí começou o conflito".
 
Ouça o relato de Gabriela na íntegra:
 
 
Outro lado
Procurado, o dono do bar, Albano, não foi encontrado pela reportagem. Por telefone, em duas ligações, uma atendente (em tom ríspido) afirmou que o estabelecimento não irá se posicionar sobre o caso. "É obrigatório alguém  lhe falar alguma coisa? Não. Então, passar bem", berrou a mulher, desligando a ligação abruptamente na segunda tentativa de contato com Albano. 
 
Também procurada, Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) se comprometeu a enviar um posicionamento sobre o caso, mas não o fez até a publicação da reportagem. A materia bOCAONEWS

15 de agosto de 2018

Jaguatirica e onça são flagradas na cidade de Jacobina; MP-BA mira possíveis caçadores

Uma jaguatirica e uma onça parda, espécies ameaçadas de extinção, foram flagradas por câmeras fotográficas TRAP, usadas para monitorar animais sem incomodá-los em seu habitat, na cidade de Jacobina, no centro norte da Bahia, recentemente. O registro faz parte do monitoramento feito pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), que através da Promotoria Regional Ambiental de Jacobina, recebeu 15 câmeras.
Ao BNews, o promotor de Justiça Pablo Almeida, coordenador do Projeto Floresta Legal, explicou que o órgão trabalha em parceria com o Instituto Água Boa, Professor Fábio Carvalho, entre outros. “Estes animais foram flagrados pelas câmeras nos dias 08 e 12 de agosto deste ano. As imagens dessa semana são animadoras, revelam a riqueza ambiental e a necessidade de preservação do meio ambiente. As áreas que estão sendo monitoradas vão ser convertidas em Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), que são unidades de conservação de titularidade privadas”, detalha.
O promotor acrescenta que “a localização exata dos equipamentos e dos animais não será revelada visando manter o meio ambiente local intocado”. Além disso, ressalta que as câmeras ajudarão a identificar, nas 21 cidades nas quais a promotoria atende, possíveis caçadores que ainda atuem na região, os quais podem responder criminalmente por porte de arma e crime contra o meio ambiente.
 
“Estamos remanejando sempre os equipamentos. Sempre que surge a notícia de visualização de animais de grande porte fazemos o possível para encaminhar câmeras para obtenção das imagens. Desde o recebimento das câmeras, elas foram instaladas em 64 locais diferentes”, conta.

Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs)
Segundo o promotor, as RPPNs são instrumentos postos à disposição dos particulares que podem contribuir para a preservação do meio ambiente e integrar o esforço nacional de conservação da natureza e proteção da biodiversidade dos biomas brasileiros.
“Nestas reservas particulares são permitidas atividades de pesquisas científicas e visitação com objetivos turísticos, recreativos e educacionais. É possível a criação de RPPNs apenas em parcela das propriedades rurais”, ressalta.
Em outubro do ano passado, empresários do município firmaram acordo com o MP-BA, e cinco novas Reservas Particulares foram criadas. Os estudos necessários para a criação destas cinco reservas foram financiados pela Fundação Grupo O Boticário e executadas pelos institutos Água Boa e Ynamata, sem nenhum ônus financeiro para o MP-BA. Atualmente, com o apoio do órgão, já foram criadas 22 reservas particulares em sete municípios da região.
“Esses empresários assinaram o Termo de Compromisso, e aí começaram os trabalhos de campo, com medições, identificações de todos os rios, instalação de câmeras para identificar a fauna”, lembra Almeida ao comentar o início do projeto.
O promotor também explica o processo de criação de uma RPPN. “É formado um pedido administrativo e encaminhado ao Inema ou ao Icmbio, que analisa a documentação, faz inspeção, faz consulta pública e assina um termo de compromisso com o proprietário e Inema, de criação da reserva. Após registro no cartório de imóveis a reserva está criada. Das 22 já pactuadas, 8 estão em fase final, de registro no cartório da reserva ambiental. As outras estão tramitando com os estudos ambientais e protocolo nos órgãos”, revela. Almeida ainda destaca que a reserva particular Toca dos Ossos, em Ourolândia, já foi completamente formalizada, e é considerada a caverna mais fossilífera do Brasil.
Entre os incentivos para os proprietários de imóveis buscarem a criação de RPPN estão a isenção do Imposto Territorial Rural (ITR), a possibilidade de desenvolver nesses locais atividade de ecoturismo e educação ambiental e formalizar parcerias com instituições públicas e privadas, obtendo também preferência na análise de concessão de crédito agrícola junto às instituições oficiais, entre outros.
Abaixo, vídeos de outros animais, um guaxinim, duas raposas e um irara, registrados pelas câmeras do projeto.fonteBocaonews